O TABAGISMO (CIGARRO) E AS DOENÇAS PERIODONTAIS (GENGIVA)

Muito disseminado na mídia, já sabemos que o ato de fumar está associado a inúmeras doenças sistêmicas como as cardiopatias, cerebrais, pulmonares , gastrintestinais, sem esquecer do aumento do risco de aparecimento de neoplasias ( tumores;câncer)

A relação entre o tabagismo e as doenças que acometem a boca são maiores do que encontramos nos meios de comunicação e campanhas preventivas. Sabe-se bem dos fatores de risco para o aparecimento de tumores bucais , porém as informações estão aquém do satisfatório , para  fatores agravantes das doenças periodontais, já que a causa primária das gengivites e periodontites é a placa bacteriana ou biofilme que podem levar até a perda do elemento dental.

A prevalência das doenças gengivais em fumantes, segundo pesquisas, mostram que os fumantes têm um risco de 2,6 a 6 vezes maior de desenvolver doenças gengivais do que em pacientes não fumantes. Além disso, a progressão da doença é diretamente proporcional e ligada, a quantidade de cigarros consumidas por dia, ou seja , quanto mais cigarros , maior a perda de inserção gengival e óssea.

doença periodontal tabagismo e1305576399933 O TABAGISMO (CIGARRO) E AS DOENÇAS PERIODONTAIS (GENGIVA)

As últimas pesquisas, mostram que não existem dados conclusivos que demonstrem que o fumo afeta os tecidos gengivais por alterar a composição da flora bacteriana, o que foi confirmado foram os efeitos negativos do tabagismo sobre o sistema vascular e imunológico do hospedeiro (paciente).

Como a doenças gengivais são infecciosas e de características inflamatórias podemos simplificar dizendo que a resposta inflamatória c

ontra as bactérias  presentes nos sulcos gengivais, envolvem a vasodilatação dos vasos sanguíneos para a chegada de neutrófilos (células de defesa), iniciarem o processo imunológico de defesa do organismo.

Exatamente nesse ponto começa o entendimento resumido do fator de risco para o fumante. Quando ingerida a fumaça do tabaco, a nicotina é absorvida pelo organismo, estimulando hormônios, os quais fazem uma vasoconstricção nos vasos sanguíneos, diminuindo a permeabilidade das paredes do mesmo, impedindo a passagem das células de defesa. Além disso, diminui a circulação periférica, abaixando a oxigenação celular levando a um prejuízo na desinflamação e cicatrização do tecido doente. Esses eventos de defesa do paciente fumante, diminuem o sangramento, a salivação e aumenta o acúmulo de placa bacteriana e cálculo (tártaro).

Depois de identificados e informados sobre os efeitos bucais que o tabagismo acarreta, os fumantes devem ser questionados e se questionar sobre um eventual interesse em parar de fumar.A motivação que muitos fumantes precisam para parar de fumar devem ser oferecidos pelos profissionais da saúde em especial cirurgiões-dentistas, especialistas em periodontia, por seu contato mais próximo e freqüente com o paciente que o confia sua saúde e não quer perder seus dentes pela doença periodontal, intensificada pelo tabagismo.

Gostou? Então Compartilhe!
This entry was posted in Uncategorized.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>